30 agosto 2006

Mais um Vasconcelos.

Portugal entregou o negócio das eólicas a uma parceria portuguesa GALP/EDP e fez muito bem. A Iberdrola espanhola representada pelo português Pina Moura, ex-ministro, ex-comunista, ex-solicialista ( ? ), - preferia que ex-português - diz que fez muito mal.

Haverá em Espanha algum espanhol, testa-de-ferro, a defender os negócios portugueses, como nós temos em Portugal, portugueses, a defender desta forma, os negócios espanhóis? O orgulho espanhol aceitaria estar a atacar intereses espanhóis desta forma, para favorecer Portugal? A Galp que o diga na sua entrada em Espanha... Que raio de povo somos que se vende e aceita lutar contra a sua matriz com tanta leviandade? Espanha tem na sua história algum pulha de um miserável Miguel de Vasconcelos espanhol que tivessem arremessado pela janela fora? Que corja de filhos de Camões interesseiros saímos que arrastamos a Pátria a tribunal para promover os interesses fiduciários de Cervantes? Isso não lhes mete nojo? Asco? Este senhor não é um borra botas qualquer! É um viaipi! Foi Ministro de Portugal! E pode ser? Poder, pode, mas está certo? Veriam alguma vez um ex-ministro espanhol – Javier Solana por ex: - levar Espanha a tribunal para defender uma empresa portuguesa? Assim já é caricato? É também esta espinha mole colectiva que nos impede o rasgo. A honra não importa, o que é preciso é prover o sustento. Com esta lembrei-me do: Feios, Porcos e Maus...

27 agosto 2006

27

... e eu hoje acordei assim:

Felizmente, vamos vendo cada vez mais, convencidos galos de crista pagar pelas seus abusos. A prepotência e os desmandos exercidos sobre a cobertura de um qualquer quadro legal, são normalmente fatais: criam-lhes a sensação de impunidade eterna. Alguns, sobrevivem-lhe quase uma vida, mas um dia chega a hora... Gosto de os ver sair dos tribunais de cara tapada!

26 agosto 2006

Um anti-blogs

Nada tenho contra as conversas de escárnio em voga nas nossas TV’s e até acho que a crítica mordaz, responsável e inteligente é necessária para mantermos activa a nossa capacidade de rirmos de nós mesmos. Mas num dia destes, dei com um Sr. Pina, na SIC , num desses programas de “Comédia” e numa das suas entradas o homem desconchava-se em ataques soêzes ao Bomba Inteligente, a propósito do sentido figurado, de como de uma forma engraçada e brincalhona a autora nos diz que acorda, e exibía as fotos como prova do “crime”. Não sou assíduo daquele blog mas reconheço-lhe uma marca distinta e uma forma muito particular de aqui andar e dizer as coisas e até bastante mais qualidade e inteligência naquilo que faz, do que o trabalho do Sr. Pina, naquele programa.

De novo, num zap acidental voltei a vê-lo, quando desancava o blog do novo Presidente da Liga de Clubes, pouco importa se com razão, mas desta vez atirando-se às razões que levam as pessoas a fazer blogs, inferindo que são razões de vaidade pessoal, narcisismos e defeitos afins. Nesta lógica, a partir de hoje quem cantar é vaidoso? Quem pintar é narciso? Quem escrever tem manias e quem "comediar" tem a mania que é palhaço?

Este Sr. Pina não tem blogs mas tem flops e a demonstrar a sua incapacidade para justificar o seu tempo de antena, está o ataque cretino à Sr. Maria Cavaco Silva, por quem não morro de amores mas que respeito. Desta vez, exibiu então um jornal onde a senhora dizía: “... Não contassem com ela para ficar atraz do marido, mas sempre ao seu lado...”. Serviu-se depois, para ilustrar a chacota àquela declaração, de figuras de um qualquer Kama Sutra com as diversas posições laterais do acto sexual, fazendo depois o mesmo com outra primeira dama europeia e outra vez mais figuras, agora de rectaguarda e outra vez mais deboche. Aqui está a qualidade do trabalho do Sr. Pina.

Uma estação televisiva não é um blog com meia dúzia de leitores e as audiências são incomensuravelmente maiores do que as entradas nestes blogs, logo, a qualidade daquilo que diz o Sr. Pina, deveria ser incomensurável face ao que dizem os blogs, mas não é, fica até muito por baixo. Haverão razões por detrás desta sua aversão blogosférica? Alguém explica?

23 agosto 2006

Um momento.


From: Zé -

" Não digas que esta não é bonita?. Olha bem para ela e perde um minuto. A meditar... A ver o encanto da natureza... Olha, não sei o quê! Encanta-me esta calma que a foto me transmite. "

From: Graza -

Concordo contigo. Quanto ao ”encanto” e ao “não sei o quê” não será porque fizeste os teus primeiros nove meses de vida neste elemento? A água e a música não são um dos elementos mais usados em terapias para induzir a um determinado estado? Neste caso, a água está tão calma, o pato vai tão suave e a ondulação tão macia que te deixam a possibilidade de imaginares o ritmo que quiseres: lento, ou muito lento. Até o facto de o patinho não perceber que estava a ser observado ajuda à não perturbação. A fotografia eterniza aquele momento. Este, é um exemplo de como o vídeo nunca a substituirá, nesta função. Tenta imaginar a cena em movimento!... Já passou!... Não tiveste tempo de interiorizar o que quer que fosse.

Crédito da foto ao meu amigo Zé que vive desterrado nas areias do sul.



17 agosto 2006

02 agosto 2006

Férias Normais




Não tenham pressa, chega a tempo.

PS: Um dia destes arranjo-vos um postal das "Ilhas Malucas" para armar também ao pingarelho... Qual é a taxa do juro?... É a nomal?