15 julho 2008

E foram nossos Juízes!...

Numa altura em que alguns exigem explicações, é bom lembrar o que aconteceu e que ainda inculca o espírito de algumas paredes, ou se preserva como a natureza se guarda na semente. Leia a notícia integral do estudo no Público:

“Divulgado primeiro estudo sobre funcionamento dos tribunais plenários que julgava os opositores ao Estado Novo ...”

“...Durante a apresentação deste estudo, no Tribunal da Boa Hora, em Lisboa (precisamente na sala onde eram realizadas os julgamentos do plenário), Rosas criticou que a maioria dos magistrados que pertenceram a estes tribunais tenham ficado impunes. Os autores do estudo referem que apenas os juízes que estavam nos plenários em 25 de Abril de 1974 foram aposentados compulsivamente. Os restantes acabaram a sua carreira no Supremo Tribunal de Justiça sem nunca terem sido julgados ...”
.
Notícia agradecida ao Alexandre.
.

2 comentários:

Alexandre de Castro disse...

Com a escandalosa recondução dos magistrados dos Tribunais Plenários e a condescência para com os agentes da PIDE, a revolução de Abril mostrou a sua primeira hesitação e permitiu um certo branqueamento do fascismo.

Graza disse...

E quantos, lá de dentro, depois disso, tiveram a coragem de falar do que está mal? O medo tolhe-os a todos, ninguém ousa abrir a boca.
Viram-se agora para o Dr. Marinho e Pinto e temo pela falta de solidariedade de alguns que poderiam fazer um número qualificado para que a sua causa pudesse ajudar a fazer uma verdadeira e séria reforma da Justiça e das suas mentalidades. Há por ali demasiado respeito reverencial e castrador.