05 junho 2009

Um Planeta à deriva


“Uma verdade Inconveniente“ de Al Gore foi um marco na luta contra as alterações climáticas, porque massificou o debate através do seu mediatismo. Tem por isso um lugar específico nesta luta.

Mas hoje, Dia Mundial do Ambiente, "HOME – O Mundo é a nossa casa" foi um outro contributo inestimável para esta luta com este filme de Yann Arthus-Bertrand e Luc Besson, porque lhe acrescenta a Fotografia, para além de outras formas de garantir o impacto, como a divulgação simultânea em 60 canais de televisão mundiais a exibição em telas gigantes em vários países. Foi seguramente o melhor que vi em TV. Uma qualidade excepcional aquela forma de olhar com a câmara, sem Photoshop no final, apenas a escolha das melhores horas solares, os melhores ângulos, regulações, contrastes, saturações, tudo do melhor que vi. Cada nova cena que aparecia eram fotografias de pódium. É um filme para rever porque vai aparecer aí em formato e duração de cinema. Aconselho vivamente a verem nesse formato, agora com este alerta para a qualidade fotográfica.
.
O link para o filme: HOME – O Mundo é a nossa casa
.
Uma referência especial para o Fernando Alves, dos Sinais, na TSF, porque foi dele que ouvi o elogio ao que poderia vir o ser o filme, e sem o qual não vos teria antecipadamente convidado.
.
l

4 comentários:

Guadalupe disse...

Achei o filme extraordinário tanto em termos de conteúdo como de fotografia.É um alerta com imagens e palavras chocantes mas onde, apesar de tudo, também reside a esperança . Muito comovente até.
Obrigada ao Fernando Alves por mais uma vez ter abordado um tema que obriga à reflexão e toca a nossa sensibilidade e também ao Grazina por me avisar da projeccção deste filme magnífico.
Guadalupe

Graza disse...

Sim Guadalupe, como seria este mundo sem o egoísmo humano que está por detrás de muito desdes males? Agora é uma questão de fé, do género: - Vamos acreditar!... Mas já chegará?

uivomania disse...

Mais um filme pertinente! Não será por falta de documentários que o homem não corrige com urgência, erros que tem cometido.
Mais uma vez... podemos ainda aprender com as formigas e a trofalaxia.

Graza disse...

Ensinaram-nos que a ambição humana era uma coisa boa, motor do progresso etc. etc., curiosamente, sempre achei que havia qualquer coisa de errado neste vocábulo adpatado a esse conceito de progresso do ser humano. A ambição contem em si alguma carga negativa, e muito dos desvarios que estão e vão acontecer na China, Dubai e Emergentes passam por aí: é a ambição levada à loucura, a mesma que despoleta depois todos os egoísmos de que depois nos queixamos.