30 março 2008

Protesto contra Jaime Gama

(Reeditado)
Depois de acabar de ouvir no telejornal Jaime Gama rasgar-se em sebosos e escabrosos elogios a Alberto João Jardim, não me resta outra forma que declarar que a partir de agora o Presidente da Assembleia da República passou a ser para mim, personna non grata naquela cadeira institucional. Aquilo, foi simplesmente, rastejar. Aquilo, é o que aqui combato permanentemente, porque é ainda um dos atavios que arrastamos de épocas de subjugação feudal de que ainda não nos livramos, pelos antecedentes históricos que nos marcaram. Prestei de imediato ao PS Madeira, via PS Lisboa a minha solidariedade:
.
“Caros Madeirenses.
.
Não sou militante PS, nem nunca fui noutro partido, mas debato-me pelo socialismo e pela cidadania. Estou em estado de choque. A minha revolta é do tamanho da distância que nos separa. Como é possível ir um histórico socialista à Madeira enterrar uma faca nas costas de todos os que têm sofrido com a luta desigual que travam contra a manipulação, o caciquismo, e o carroceirismo nessa ilha?

Estou inteiramente solidário com a vossa tristeza (presumo), porque de outra forma não devem ter encarado tamanha traição. Não me custa reconhecer méritos a ninguém, mas ainda acredito que a história desse homem seja um dia mais bem contada. Mas para isso é preciso que vocês continuem contra ventos, a levar luz à acefalia que tomou conta de tanta gente.”
..
P.S. - E é tanto mais estranho, quanto é verdade, como diz o dirigente do PS/Madeira António Rosa, que Gama comparava em 1992 João Jardim, ao auto-proclamado Imperador Bokassa, da República Centro Africana!... A Democracia e o Socialismo (o PS já não sei) dispensam políticos com esta espinha dorsal.
.
Caso não tenham ouvido, leiam a fartura por aqui: Diário Digital, O Sol, TSF, TVNet, Jornal da Madeira, DN Online etc....
.
.

4 comentários:

Ricardo S disse...

Efectivamente foi mais um acto de vassalagem de Jaime Gama.
Pode-se compreender os elogios do ponto de vista institucional. Sendo Presidente da AR, Jaime Gama deverá manter a urbanidade e o respeito pelas restantes entidades do Estado, entre elas o Governo Regional da Madeira e seu Presidente. O que já não se compreende são os elogios desnecessários.
Será que Jaime gama realmente aprecia o estilo de Jardim?...

Cumprimentos.

Graza disse...

Ricardo, pretendia acrescentar mais sobre esta questão e o seu comentário foi oportuno para o efeito. Respondo no post seguinte.

Alexandre de Castro disse...

O cronometrista de serviço na Assembleia da República, untuoso e redondo, desta vez surpreendeu-nos. Ou me engano muito, ou o homem já está a recrutar apoios para uma próxima candidatura a Belém. E foi bater à porta certa. Alberto João poderá querer vingar-se de Cavaco Silva, de quem não gosta, e, ao mesmo tempo, agradecer reconhecidamente, com o seu apoio inflamado e incondicional, a quem, do campo socialista, lhe enalteceu a "obra" e o seu perfil de "democrata".

Graza disse...

Alexandre, se há um perfil que o PR não deve ter, é este de catavento e lambe botas.