12 fevereiro 2008

Mais ecos.

As desigualdades na distribuição da riqueza e na distribuição dos sacrifícios são muito grandes...”

E o Kaos disse a propósito do Prós e Contras na RTP e da prestação arrasadora de Paulo Morais sobre a corrupção, que deixou todos de boca aberta:

“...Gostava que nem sempre fosse assim e por isso peço a todos que se inicie um corrente de indignação, um não calar as nossas vozes aqui, na rua, em todo o lado onde seja necessário. Temos que lhes mostrar que ou eles mudam isto (o que não acredito), ou temos de ser nós a ir lá e correr com eles (parece-me cada dia mais urgente). Assim as coisas não podem continuar”

Mas cuidado, é preciso perceber que a gravidade do que se passa não é assim no imediato de ordem política, nem o problema é Sócrates, a questão é bem mais funda como se percebeu no programa Prós e Contras, isto é, quem vier a seguir não tem capacidade para mudar um sistema que afinal está legal!.. . As mudanças que Portugal precisa estão quase ao nível do arrasar para construir de novo, porque ninguém vai abrir mão dos privilégios adquiridos legalmente. As situações aberrantes foram sendo criadas aos poucos, paulatinamente, profissionalmente, sem que tenhamos dado por isso fomos sendo roubados. Com a Justiça neste estado, até mesmo o arrasar para construir, está votado ao insucesso com este guião e os mesmos actores. Quando um artista ganha mais não sei quantos milhares que o seu homólogo americano e nos vem falar da contenção salarial por causa da porra do déficit das contas, e não sente vergonha por isso, não há política nova que resulte. Só mesmo fazendo tábua rasa de tanta mordomia que o país não tem capacidade de suportar, conseguiriamos E a corrupção? E os direitos de superficíce já conquistados? E as reformas douradas? Poderão mudar se mudarmos as moscas? O mal está feito! Que Estado de Direito pode mudar este paradigma? Só se os levarmos todos a tribunal com o argumento de que andaram todos a legislar em causa própria.

4 comentários:

Kaos disse...

Estou a organizar no Wehavekaosinthegarden um jantar de gente da blogosfera. Espero que corra tão bem como o primeiro organizado pelo blog o Marreta e é sempre bom trocar ideias e opiniões com gente que anda preocupada com o caminho que este país segue. Nas notas do kaos digo onde se vai realizar e claro todos são bem vindos.
um abraço
kaos

Ricardo S disse...

Atingimos o ponto de saturação e daqui não saímos...

No "caso Bexiga", fica a sensação de que o problema não está tanto na Lei, mas sim em quem a deveria aplicar e não o fez, ou fê-lo mal.

Pinto Monteiro bem pode tentar sacudir a água do capote e varrer o pó para debaixo do tapete, porque o que o Povo pergunta é porque é que PJ e Ministério Público não foram diligentes e profissionais? Porquê? Será que tinham interesse em que o caso fosse arquivado?
Será que o PGR vai ser minimamente realista e competente e instaurar um processo disciplinar para quem não alegadamente não cumpriu as suas obrigações?

Duvido...

Cumprimentos.

Graza disse...

Kaos, agradeço o convite mas nesse dia devo andar a por a minha dieta de peixe em dia, mais para Sul. Obrigado e tenha um bom encontro.

Graza disse...

O Caso Bexiga pode até ser dado como paradigma das disfunções deste país.

Tenho dito há muito que Portugal, mesmo antes de ser um problema de Educação e Cultura, é primeiro e há muito um problema de Justiça. Enquanto não conseguirmos resolver este problema não sairemos daqui. Bem diz Marinho e Pinto que se um cidadão do século XVIII caísse agora na sala de audiências, de muitos Tribunais julgaria não ter morrido, de tal forma está a Justiça.

Mas temos agora estes nossos escrutinios e quem sabe se o momento que estamos a viver não passa já por muito do que todos aqui temos feito. É preciso continuarmos empenhados e não deixar passar nada em branco.

Esta também pode ser uma forma de exercer a Cidadania a que temos direito.